sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

A história que nunca tem fim





Era uma vez uma linda ilha, onde viviam seis criaturas: Felicidade, Conhecimento, Amor, Tristeza, Riqueza e Vaidade. Um dia, descobriram que a ilha começara a afundar! Todos eles então construíram barcos e canoas e deixaram a ilha, um por um. Exceto o Amor: o Amor tardava, pois queria adiar o abandono da sua ilha querida pelo maior tempo possível...

Quando a ilha já tinha afundado quase que por completo, Amor decidiu pedir ajuda.
Riqueza estava passando por lá em um barco, e Amor perguntou: "Riqueza, pode me levar com você?"

Riqueza respondeu: "Desculpe, Amor, eu não posso. Existe uma grande quantidade de ouro e prata em meu barco, por isso não há lugar aqui para você. Com nós dois no barco, vamos afundar com certeza."

Em seguida, Amor perguntou à Vaidade, que também estava navegando por perto, mas Vaidade ofereceu a mesma resposta.
"Eu não posso te ajudar, Amor. Você está todo molhado e sujo e poderia estragar meu barco," ela respondeu.

A Tristeza estava por perto, então Amor perguntou: "Tristeza, me leva junto com você."
"Ah ... Amor, estou tão triste que eu preciso ficar sozinha!", Tristeza disse com uma voz melancólica.

Felicidade passou por Amor, também, mas ela estava tão preocupada com o seu próprio júbilo que nem sequer ouviu quando Amor a chamou.

De repente, ouviu-se uma voz: "Vem, Amor, eu vou levá-la."

Era um ancião usando um esfarrapado lenço na cabeça. Um Amor feliz saltou para o barco... Quando eles chegaram à terra seca, o ancião seguiu o seu próprio caminho.
Amor olhou em volta e viu Conhecimento, que foi o primeiro a ter chegado em terra firme, já  algum tempo.

"Quem me ajudou?" Amor perguntou.
"Foi o Tempo," Conhecimento respondeu.
"Tempo? Por que o Tempo...?" Amor estava surpreso...

"Porque só o Tempo é capaz de entender como o Amor é valioso..."
E Conhecimento sorriu.


Autoria: Akiane Kramarik


Com este texto, desejamos encerrar o ano desejando a todos vocês amigos e amigas um bom descanso, comemorações cheias de alegria e saúde, e muito, muito amor...pois no final, é a única coisa que ficará de todas as experiências vividas!
Beijos dos amigos
Bíndi e Ghost

domingo, 2 de dezembro de 2018

Solidão Elegante




Solidão é uma palavra forjada em aço frio, no fogo aceso na lenha de todas as dores
Mas eu flertei com ela maliciosamente, em devaneios que me faziam enxergá-la
como uma voluptuosa delícia de não precisar relacionar-me com ninguém a não ser eu
Ela deslizou para dentro de minha rotina, quase imperceptivelmente, a cada convite recusado
A cada ligação não atendida, em todos os olhares desviados
Foi-me cercando, sinuosa e silenciosamente
A ponto de criar ao meu redor uma aura especial que como que dizia: afastem-se de mim
E eu, cisne solitário, deslizava em águas tranquilas e rasas
A vida, porém, impulsiona para a frente todo aquele que tenta estacionar
e um dia vislumbrei que precisava de algo que em mim mesma não encontrava
Minhas mãos estavam cheias de vazio, meu coração entediado no não-fazer
E o exemplo dos que felizes convivem e compartilham passou a fazer-me inveja.
Meus olhos desviaram então do meu lago solitário, e ao se elevarem encontraram os teus
Nada pediste, nada querias tirar de mim, nem mesmo minha elegante solidão
Apenas deixaste carinho e atenção em minha porta, como ofertas de boa vizinhança
Teu sorriso era um convite amplo e generoso
E teu afeto me conquistou, por me deixar livre, me envolveu, por me querer assim como sou
Percebi que unir não é amarrar, agregar não é perder...
Deixei a solidão sozinha e fui-me à vida em tua companhia
E para onde ela nos levar, irei tranquila, andorinhas livres voando lado a lado
na direção do calor do sol, tendo o céu por testemunha, em núpcias com o amor.

⧪Bíndi⧪





Música: Bee Gees - Spirits Having Flown

https://www.youtube.com/watch?v=WUxffCKU5B0

Imagem: https://www.publicdomainpictures.net/

domingo, 11 de novembro de 2018

A Estação (a volta)




De novo ali estávamos
Em meio de um turbilhão de acontecimentos ao nosso redor
Havíamos criado um lugar para o nosso amor
Isolados do mundo, dos problemas da vida

 Porém, eu precisava ir
Não havia mais tempo para dizer-te o que sentia
Em teus olhos marejados, refletiu-se a imagem de meu coração
Partido, partindo em silêncio

Ao longe olhei-te na estação
Um último aceno
A imagem gravada, como um filme que se repetirá sempre
Novamente os passos meus, sem você pegando minha mão

Há poucos minutos subimos juntos aquelas escadas
Porém agora eu as descia sozinho, apenas com o calor do último abraço
Em minha face gélida havia a expressão dos caminhantes no deserto
Em meus passos a marcação do tempo que acabou.

Tantos anos de amor, de distância, de reencontros e saudades
Tantas conversas sem precisar completar frases, pois o entendimento sempre foi na alma
Então voltei no tempo, ali mesmo havia partido outrora
Entendi que nunca há separação, o elo de amor  é presente.

Hoje não sinto saudades, pois tudo que está em mim, é a sua presença!

Ghost


segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Divididos



Não quero olhar pro céu porque a nuvem negra que se aproxima
Não é de água benfazeja, mas de chuva ácida
O vento sopra sobre todas as cabeças, mas nem todas as bandeiras 
que tremulam são de paz
O que nos separa? Quem nos separa? O que mais dói é que nos deixamos separar.
O medo não é bom conselheiro, mas o amor sempre será
Mas se até o amor tomar partido, que rumo nos restará?
Meu sonho é que um dia, a realidade transpareça
 e me dê um tapa em luvas de pelica, mostrando que nada
se concretizou e eu estava errada em temer o que virá.
A verdade é o que prevalece, o bem é o que eu sempre quis
Pois eu não quero ter razão...eu quero é ser feliz.

Bíndi





Imagem: internet
Música: Nenhum de Nós - Divididos


sábado, 29 de setembro de 2018

Anjos do amanhã!



É preciso rever nossos conceitos de sermos agressivos para o mundo, e sermos desagradáveis para as pessoas
Porque falamos alto? falamos para surdos? porque o líder tem ser o que mais grita?
Porque os maiores seres que já habitaram na Terra eram dóceis, como gatinhos amestrados?

Quando iremos entender que só viveremos em paz, quando plantarmos a paz?!
Até quando seremos serpentes venenosas? raça de víboras...
Há um lado gentil em cada ser, mas cultivamos o lobo feroz...
Plantamos a concorrência, ao invés da irmandade,
A inveja ao lugar do exemplo a seguir
O ciúme que se vinga, ao lugar do carinho que conquista...

Porque?

Porque, se já voamos como pássaros, nadamos como peixes..
Porque, ainda existem pessoas que plantam o preconceito?
Porque, acusamos, julgamos e condenamos, ao invés de ajudar a corrigir?
Porque, agimos muitas vezes como animais sem raciocínio, movidos por instintos primitivos?

É tão simples entender que a felicidade está nas coisas simples da natureza,
Se cultivássemos a paz, colheríamos a harmonia ao nosso redor,
Tantos sofrimentos se amenizariam, encontraríamos a visão da paz, ao longe no horizonte,
Mas não acreditamos nas forças naturais da vida, e colhemos úlceras, agindo com a raiva do homem conquistador e insaciável,
A natureza só pede por Amor, para nos devolver Amor, é a Causa e o Efeito.

Talvez milênios ainda circulem pela Terra, regida pelo homem que dorme, mas só há uma saída...o Amor;
E nesse despertar sublime, deixaremos o velho lobo nos escaninhos da memória, e seremos os anjos do amanhã,
Entenderemos então, a importância de perdoar, de ajudar, de plantar a paz, dias tão distantes do ser atual que habita na Terra,
Esse ser bélico que ainda debocha da dor alheia, que enriquece com o mal coletivo, que não faz uma ação benigna se não for recompensado, como cães famintos.

Sobreviveremos, como raça que evolui, como uma tribo isolada do restante da população do Universo,
Buscamos o merecer, como ainda selvagens, alcançar padrões de civilidade cósmica, para visualizar padrões mentais altíssimos.

Não podemos acusar o próximo, pois somos da mesma origem, e rumamos para o mesmo final de amor...
Experimente hoje, oferecer um sorriso para uma criança, ou cuidar de uma planta, ou simplesmente se permitir sentir a emoção de uma bela canção, se permita um pouco de paz.

Não busque a razão de tudo, razão é raciocínio...enquanto a essência do Amor é Divina.

Ghost

domingo, 9 de setembro de 2018

Delicadeza do amor



Puxe uma cadeira e sente, meu amor, a cozinha está quente e acolhedora
Tome um café com o bolo que acabou de sair do forno
Ouça o canto dos sabiás que já buscam as ramadas de buganvílias
 para seus ninhos,
 e das corruíras que vêm à janela espreitar nosso cãozinho que se espreguiça ao sol
Nesse aromático cafezinho está o meu amor...
Meu amor está no carinho com que bati o bolo, e na atenção que dei para que 
cozesse até a crocância ideal
Meu amor está no perfume do amaciante que escolhi para lavar nossas toalhas
E na maciez com que elas te acolheram e secaram o rosto pela manhã
Está no prazer de usar a lingerie ousada que me presenteaste, 
porque ninguém me conhece o corpo como tu
nem desperta nele o desejo de tudo o que desejo
Meu amor se mostra na mensagem que te enviei em meio a um dia estafante de trabalho
E que mesmo curta e singela expressou o momento em que pensei em ti
Não busquem seu amor nas altas nuvens, ternos leitores...nem nas desanimadas teorias
Nem esperem desencarnar para o apreciar entre lírios celestiais
O amor se aprende enquanto é feito...se entende enquanto se o vive
O tempo não irá sustar seu voo enquanto ensaiamos amar para estrear amor quando habilitados
Ele não necessita corpos radiantes esculpidos em academias e vestidos em roupas de griffe
A pele de quem amo é sua melhor roupa
O cheiro de seu suor ao me amar é seu melhor perfume
O olhar carinhoso com que me envolve é a cena de romance que vale qualquer filme

Amor está todo contido nas pequenas coisas do cotidiano e se assim não estiver, amor não é seu nome 
Meu amado, de todas as pessoas, é simplesmente a que mais me lembra Deus.

⧪Bíndi⧪





Imagem: internet
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...