quinta-feira, 7 de abril de 2022

🌷 Debaixo das macieiras 🌷

 


Debaixo das macieiras, Khaled estava a sonhar,
olhando as nuvens ligeiras dissolvendo-se no ar
No jardim cheirando a murta, perguntou de si para si
nesta vida assim tão curta, vale a pena persistir?
O vento passou num sussurro, mas não lhe trouxe resposta
O sol rabiscou no muro douradas letras dispostas
A terra quedava-se quieta, mas no seu ventre trazia
a semente que, liberta, em breve na luz brotaria.

Os animais contentes brincavam, não formulavam perguntas
O gato deitava ao relento sua majestosa inércia
Calou-se Khaled então, fútil sua controvérsia
A vida trará para todos a razão por que lutar
Essencial não é só ir perguntando...mas saber o que perguntar.

Bíndi
 
 
Crédito da imagem: Canal Country Life Vlog 
 


sábado, 5 de março de 2022

Petricor

  


Não estou cabendo mais na vida que tinha
a alma voou, sublime andorinha
para um céu que não tem o tom que conhecia
De que cor é a tristeza, de que cor a alegria...?
Ambientes em que transitava quedam-se agora vazios
cascatas de horas efêmeras jorram arrependimentos tardios
entretanto... é minha obrigação seguir
Não fomos aqui trazidos, com paternais esforços e dedicação
para tombarmos débeis e apaticamente desistir.

 

Bíndi

Imagem: Google

quinta-feira, 9 de dezembro de 2021

Nossos barquinhos

 


 

Era quase janeiro...e Khaled caminhava com seu amigo e guia espiritual, esmagando sob seus pés a areia estalante e densa da praia vazia a não ser por um solitário pescador que, ao lado de sua traineira* que na praia descansava, fitava o horizonte, concentrado.
 
Khaled olhou na mesma direção e viu que quase em alto mar um catamarã* adernava* rapidamente. Não tardou a ouvir-se os gritos das pessoas que começavam a pular desesperadas para o mar, sem coletes nem botes salva-vidas à vista. Khaled gritou ao pescador que colocasse ao mar sua traineira e ajudasse os já quase náufragos...ao que aquele respondeu que calculava que havia quase cem pessoas no  catamarã, e a sua embarcação só dava para umas trinta ou quarenta...já que não poderia salvar todos, ele então decidiu não salvar ninguém.
 
Enquanto Khaled esbravejava com o homem,  seu amigo imediatamente correu para a vila de pescadores adiante, para pedir ajuda, voltando com muitos jangadeiros que colocaram seus barquinhos ao mar para o salvamento. O amigo de Khaled o repreendeu duramente por engalfinhar-se com o pescador.
 
- Como assim - Khaled exprimiu-se com mágoa - o homem se recusa a ajudar as pessoas e eu é que sou ofendido por ti?
- Amigo Khaled, nestas situações de nada adiantam os julgamentos e brigas. Veja que enquanto te espojavas na areia e insultavas o pescador,  eu tentei buscar uma solução para o drama...e veja também que o equívoco deste pescador é extremamente comum entre a maioria das pessoas que, só podendo ajudar pouco, não ajudam nada. Se soubessem que cada ação conta, caso pressentissem como qualquer gesto visando o bem de outros seres humanos, de animais, do meio ambiente, perfaria uma soma de avanços que mudaria o planeta, pegariam cada qual o seu barquinho e rumariam sem demora a ajudar. O oceano de necessidades é imenso...mas muito maior é a potência de nosso coração.

                                                                                                    Bíndi

 
 
Imagem encontrada no blog sietenoches.wordpress


*traineira= pequena embarcação para pesca com redes
*catamarã = embarcação para passageiros, indicada para longas distâncias
*adernar = pender (o barco) sobre um dos lados


sábado, 13 de novembro de 2021

Erês

 

 
 
Acordem, crianças, que seu sono há muito tarda
Chegou a hora de crescer, alargando a consciência
pois brincávamos pensando haver alguém na retaguarda
mas não havia...e para nossos desatinos não há de haver clemência
No regaço da natureza descansávamos incautos
Sorvendo sem cuidado, abusando, lambuzando-nos sem dó
Água, terra, ar e fogo agitando-se foram os arautos
de transes que viriam em efeito dominó
E nós, assim...vivendo pachorrentamente descansados
aguardando do céu eterna paciência maternal
tratando sem respeito o mundo que a nós foi confiado
recebendo gratuitamente o bem, e devolvendo o mal.
Chegou a hora enfim de encontrarmos a correta trilha
A natureza não é mãe...a natureza é nossa filha.
  
Bíndi
 
Crédito da imagem: goodfon.ru

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Silêncio

 


Bondoso silêncio...
Silêncio cálido
Que nos aconchega com cuidado
E nos põe pra dormir  
Te ouço na planta que brota
na boca que cala a palavra rude
na pausa do vento norte...
Serena rotina de horas amenas
o teu valor percebi
Após perder-te num susto
...saudades que tenho de ti...!
Agora chove.
E a chuva é bálsamo sobre as feridas
abertas na terra pela estiagem
nos sulcos secos, ardentes, sedentos
tendo a poeira por maquiagem
a vida brotará, inteira e aguerrida
A grandiosidade de Deus é sublime
mas sua humildade é tocante
cada pequenino dom da vida me redime
cada miúda esperança me leva para diante.
Quase posso vê-Lo parado ao pé de minha porta
A me dizer calmamente - tens tempo para aprender, filha
a dar valor ao que importa.

Bíndi


Crédito da imagem: goodfon.ru

domingo, 19 de setembro de 2021

Primaverando

 

 
 

Não sou solidão, sou solitude
sou minha melhor companhia
Aprendi a gentileza de atitude
de namorar a mim mesma, doce ousadia.
Nem ególatra nem santa, vou direto ao que interessa
aprendi a lucidez dos loucos e a mansidão dos fortes
Vou no meu tempo, que devagar é pressa
e viver em paz comigo e com os outros é meu norte.
Não exigirei nada do outro, pois sei que também sou incompleta
Se alguém está no tempo da lagarta
Não adiantará exigir a borboleta.



Bíndi



Crédito da imagem: arte de Aykut Aydogdu

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...