domingo, 17 de setembro de 2017

As Crias da Alma


Meu ego é um cãozinho que se distrai
com as pedras do caminho
A minha Alma é o seu mestre,
que anda adiante dele
e a quem ele segue sem saber.
Julgando-se só e independente,
alegre quando o caminho é fácil
gemendo e ganindo ao cair nas armadilhas
em desespero por pensar-se na solidão

Sorridente e cheia de compaixão,
minha Alma detém-se e vem socorrer este cãozinho...
Carrega-o no colo pra que se acalme
sussurra palavras de acalanto pra que se anime
e novamente coloca-o no Caminho
pois ele tem tanto a percorrer para encontrá-la...

Sorrio do cãozinho cheirando a leite e pão
criança da vida, que não sabe que já é ancião
de vidas e vidas além do Tempo
dormindo em sua caminha de trapos
e em sua inocência achando que tudo tem.

Mas é assim que tem de ser, assim será
pois o Caminho é longo e tem de ser trilhado
E assim acordo todos os dias, cãozinho inocente
sem saber que a Alma de um Deus aguarda em mim.

Bíndi



Imagem: Pinterest.com

Música: Havasi - The Road


segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Éramos Um



Nas voragens de lembranças que elevam o olhar ao horizonte infinito
Déjà vu da mente insana que voa fora do padrão terrestre
Isolados e tidos como estranhos seres
Carregam um arquivo vivo no coração

O enlace mais denso em habitação temporal
Então o reencontro inesperado
Vedando as ilusões impostas por uma sociedade cruel e sonolenta
A união...o amparo, o amor...
As acusações e dedos em riste, julgados e condenados por víboras
Seguem em silêncio, guardando a inocência do mais puro amor
A solidão aliviada pelo carinho recíproco

Inexplicável sentimento que habita em dois corpos
Recordações de lugares desconhecidos, intraduzíveis e distantes
A mente voa por espaços sem tempo, sem dualidades, em busca só de paz
Doando por automação o sorriso mais belo...

Situam o coração em estágios estranhos de consciência
Não vegetam, vivem buscando o eterno
Compreendem que não são os corpos
Plantam raízes e amor

Ao partir então...se unem duma forma ainda não compreendida pela ciência do homem
Então falam, "almas uníssonas"
Voam por espaços desconhecidos
Suas consciências se fundem numa só

Plantam o amor em elos transcendentes por onde passam
Longe das teorias e dos labirintos das razões humanas, apenas seguem...em silêncio

Ao longe se percebe apenas uma luz cruzando o cosmos...
Partes duma alma que retornam ao seu estado original...se fazem novamente o um
Rumam por infinitos, sem lugares tangíveis, pois sua realidade se torna o tudo e absoluto.

Nos deixam sempre a mesma mensagem contida na simplicidade de suas palavras...
Gentileza, educação, humildade, silêncio, servidão...simples assim.

Ghost


Música: Natasha st Pier - Je te souhaite

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

No dia em que você perdeu o seu sorriso





No dia em que você perdeu o seu sorriso
meu mundo escureceu, emudeci em dissabor
flutuaram em minha alma sentimentos imprecisos
sem atinar no que fazer pra amenizar a sua dor
No dia em que você perdeu o seu sorriso
meu anjo da guarda segurou a minha mão
pois mais em mim do que em ti doía o desalento
de perceber que a alegria assim termina de roldão
Bem pobres são os propósitos humanos
débeis planos, frouxas intenções
que se despedaçam ao menor sopro da fatalidade
Pois nem meu amor mais desvelado devolveu ao teu rosto a claridade
nem minha prece fervorosa desanuviou tuas feições
Mas como amar é estar junto, em todas as situações unidos
com amor e humildade ao Senhor peço
que me inspire a ser teu motivo de sorrir
ser assim tua alegria é meu encanto, é o paraíso
é poesia, inspiração pra todo o bem que espero ainda há de vir.

Bíndi


Imagem: pinterest.com




sexta-feira, 21 de julho de 2017

Automação Fraterna




Terra, abençoado lar-escola de bençãos e aprendizado

Ao ver-te tão longe de mim, vejo como és linda

Tantas dores e desatinos meus suportaste, Mãe Querida

Hoje te vejo anjo

Que saudade dos teus lugares, de tuas canções que falavam de amor
Estive em outras paragens tão belas também, mas de ti guardo eterna lembrança
De mim suportaste o despertar de dúvidas e silêncios
Meus gritos sequiosos ouvias sem reclamar

Quantas vezes foste meu lenço e suportaste minhas iras
Reclamava de ti um cárcere, mas me acolhias de minha própria ignorância
O Sol te ilumina agora, a noite te abençoa o repouso
Mãe Querida, lugar de benção e dor, de aprendizado, de despertar

Um raio te rompe, rasgando a escuridão e o silêncio...os canhões não cessam
E você tão formosa, calada, sem o menor grito
Teus lugares tão belos e completos ao habitat necessário
Teu colo abençoado que guarda a paciência do Amor

E o tempo volta em meu coração
Aqui estou Mãe, visitando-te saudoso
Aprendendo de ti a lição...
Esperar...esperar.


Ghost



segunda-feira, 3 de julho de 2017

Entre Rendas e Martelos


Que nos deixem ser mulheres como as flores são flores, como o céu é o céu, como o mar é a imensidão do mar...sem exigir-nos mais que isso, ser o que nascemos pra ser, o que nascemos sendo, o que somos, pois já é difícil o bastante sermos humanas pra tentarmos ser sobre-humanas...


Não nos cobrem divindade ou castidade angelical, nem talentos extraordinários...não seremos mães em tempo integral, nem amantes de fogo interminavelmente disponível, nem tampouco cozinheiras, faxineiras, professoras e enfermeiras de eterno plantão, pois o tempo e as circunstâncias influem sobre nós como sobre qualquer criatura, e temos fases como a lua, bem dizia a poeta Cecília, que era mulher como nós...


A roseira cresce, e um dia dará suas rosas, e é o que se espera dela, por ser roseira...o cãozinho nasce, cresce e um dia latirá, e é o que dele se espera, por ser cão...o homem nasce e se torna homem, e é esse seu normal, por ser homem: porque somente a mulher teria a sina de nascer mulher e tornar-se heroína, porque transformar-se em divina a que nasceu pra ser humana...


A vida tem muitas ciladas, e uma delas é o morrer a flor em botão, regada por água demais; o alimento cru e intragável, a que não foi dado o tempo do agir do fogo; o carro engasgado a que se quis fazer pegar à força, o ser que murchou no calor excessivo das expectativas irreais...

Seja irmã, filha, esposa ou mãe, antes de tudo é mulher, e antes ainda, criatura humana; e sua decantada beleza não pode estar em formas arredondadas e suaves, pois há as que não as tem assim...nem em perspicácia e extraordinária intuição, pois há as que tem pouca, ou nenhuma...em perfeitos rostos angelicais, pois tantas nisto nasceram em desvantagem; em habilidades multitarefas, porque existirão sempre muitas que nem ao menos possuem mobilidade...os critérios de beleza para julgar uma mulher estarão sempre aquém do que ela merece, pois tal é o mundo, e o mundo foi, até pouco tempo, fabricado por homens em todas as suas nuances...

Mas talvez existirá, pela persistência feminina, um momento no tempo e um espaço no mundo em que ela será o que puder, o que quiser, o que nasceu pra ser, o que lutou para se transformar, mas assim, natural e espontaneamente, sem empurrões nem trancos, sem pressões nem exageros, sem precisar caber numa forma preexistente antes de seu nascimento, ou se esgueirar para dentro de um estereótipo que a deixará galante mas infeliz...e nesse dia, o mundo exalará um aroma raro, o verdadeiro, o envolvente, o concreto, o nem sempre oloroso como rosas, mas o humanamente encantador, perfume de mulher...


Bíndi





sexta-feira, 16 de junho de 2017

Medo de Amar



Algo havia acontecido dentro de mim, após tanto ter sofrido,  pedindo a Deus um amor verdadeiro
Notava você em meio duma multidão, era só você
Dissimulava a tentação de ficar lhe olhando
Fazia questão de ser notado por você, sem que soubesses disso

Mas foi no inesperado que nossos olhos se cruzaram
Tsunamis, furacões,terremotos, colisão de galáxias
Ah esse amor...tão lindo e gigante
Tão simples, natural e inexplicável

E na magia do momento em que nos olhamos, sorrimos
Eu não queria deixar de olhar pra você...nunca mais
Mas o medo da rejeição novamente, me fazia recuar
Um turbilhão de receios, terrível sensação de perder o sonho

Novamente o inesperado nos ajudou
Um tropeção, na hora errada?!
Foi como se meus braços tivessem vontade própria
O abraço protetor...olhos nos olhos, a respiração, o calor de teu corpo!

Fim do medo

Ghost



Música: Ruser - You Know my dreams

Seis meses depois...


Eu tinha medo de amar tão rápido, mas a carência, a solidão, teu olhar...
Assim me deixei ser consolado por você, sem notar que curava uma dor, mas desenvolvia uma dependência de você!

Minhas lágrimas foram secando, meu coração você foi curando...
Totalmente carente, não percebia que para você era apenas um jogo de conquista.

Aos poucos, nossas diferenças cresciam...já não havia mais o colo, quanto mais eu me mostrava, mais você cobrava uma perfeição em mim, que lhe fizesse feliz. Fui me tornando aos poucos frustrado, querendo rever a mulher pela qual havia me apaixonado, a pessoa que havia me tirado da antiga tristeza...

Assim se concretizava uma dor intensa, pois nada em mim lhe agradava mais,  me esforcei em querer ser o melhor pra você...quanto mais eu tentava, mais você se afastava, mais limites impunha...

Hoje percebi que não há mais nada entre nós, exceto o que ainda sinto por você, como uma areia movediça...quanto mais tento sair, mais preso fico nesse sentimento...

O mundo é cruel, dizer "te amo" é fácil...amar é tão sublime que poucos conseguem verdadeiramente!

Você nunca me amou...

Me deixando apenas esse sentimento de ter medo de amar novamente!


Ghost



Música: Mick Fleetwood - You Weren't in Love
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...